Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
15.9.09

Quando uma mãe volta ao circuito após dois anos de ausência, casada e com uma miúda de dezoito meses ao colo e ganha o torneio.



Quando uma jogadora ameaça uma juíza-de-linha de "...enfiar-lhe o c#%#*<| da bola pela p$&# da garganta abaixo!", sendo-lhe marcada uma violação do código de conduta, acelerando-lhe a ida para o balneario.

Quando o torneio masculino é ganho por um tipo com 20 anos, a finalista vencida conta 19 primaveras e aos quartos-de-final chega uma miúda de 17. Parabéns a todos e obrigado por duas semanas mal dormidas.

 

 

link do post texticulos, às 13:16  | comentar

14.9.09

No ponto antes de fechar o encontro das meias-finais do US open, Roger Federer faz esta maldade ao Novak Djokovic.

 

Desde o primeiro set que o Novak pedia ajuda divina, uma inspiração que o salvasse da derrota. Tentou de todas as maneiras e nada parecia ser um antídoto eficaz.

 

 

Não havia nada a fazer.

 

 

link do post texticulos, às 13:26  (1) | comentar

9.9.09

Todos os jogadores tem os seus pormenores ao servir, por exemplo Jon Isner faz passar a bola entre as pernas, Rafael Nadal puxa a cueca, Federer ajeita o cabelo, são apenas três exemplos.

 

No circuito são sobejamente conhecidas as brincadeiras e imitações de Djokovic de outros jogadores mas desta vez meteu-se com a pessoa errada, foi bonito ver o McEnroe bater "400 vezes" a bola antes de servir, tal como o sérvio faz e de caminho ainda mostrar a arte de volear em toda a raquete.

 

 

À poucos dias confidenciava Djokovic que teve o "azar" que pertencer à mesma geração de Nadal e Federer. O que diriam os jogadores da altura de McEnroe, Connors e Borg, e os de Lendl, Edberg e Becker e os de Courier, Agassi e Sampras. Menos conversa sff...

 

 

link do post texticulos, às 13:26  (4) | comentar

1.9.09

 

Começou ontem mais uma jornada de noites longas com o inicio do US Open. Frederico Gil perdeu contra um "indomável patife" indiano, Somdev Devvarman, um lutador nato com muito talento. Melhor sorte para a próxima Gil.

 

Ao contrário a Michelle demonstrou mais uma vez uma resiliência admirável, iniciado a partida com um trambolhão, recuperou e acabou por vencer de forma clara a francesa Mathilde Johansson. Vamos continuar a ouvi-la esta semana. Força!

 

 

“I knew that she was very loud,” Johansson said. “But that wasn’t the problem today.”

 

 

 

link do post texticulos, às 12:19  | comentar