Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
22.10.09
"Perguntaste-me outro dia
Se eu sabia o que era o fado
Eu disse que não sabia
Tu ficaste admirado
Sem saber o que dizia
Eu menti naquela hora
E disse que não sabia
Mas vou-te dizer agora

Almas vencidas
Noites perdidas
Sombras bizarras
Na mouraria
Canta um rufia
Choram guitarras
Amor ciúme
Cinzas e lume
Dor e pecado
Tudo isto existe
Tudo isto é triste
Tudo isto é fado

Se queres ser meu senhor
E teres-me sempre a teu lado
Não me fales só de amor
Fala-me também do fado
É canção que é meu castigo
Só nasceu p'ra me perder
O fado é tudo o que eu digo
Mais o que eu não sei dizer", Tudo isto é fado de Aníbal Nazaré 



 

Filme de 1966 raptado do clã Patrício.

 

Aconselho também o livro "A campanha do Argus" sobre a mesma temática.

 

 

link do post texticulos, às 15:42  | comentar

18.5.09

No melhor estilo tablóide soube hoje, escrito ontem no El Mundo, que um jornalista citando a neta do urologista do general Franco, afirmou que este era "aleijado", perdera um testículo no campo de batalha e que proximamente será lançada uma biografia, escandalosa, sobre o lado desconhecido do caudilho. Em sentido contrário, cá no burgo revisitou-se a memória do beato ditador, mas agora como um macho predador e viril.

 

Na verdade a história raramente está gravada em pedra e vai sendo revista consoante os humores da época. Portanto só tenho a temer pelo futuro do Luís Figo após o ABC escrever "(...)y alimentó su perfil de icono para las mujeres, sector en el que era conocido como el «macho ibérico» por sus facciones. Un «sex simbol».", faltará agora que algum outro, quiça de Barcelona lhe reescreva as facetas na testa dum leitão.

 

Muita tinta correu ao longo da história e em todo o caso parece mantêr-se intacto o vigor luso em terra alheia. No longínquo Japão, a arte shunga("imagem" da Primavera) onde Primavera é um eufemismo para sexo, representa com um português, à séculos o fetiche da prática de sexo com um estranho ou estrangeiro. E já que de tinta falei, deixo-vos o "Sonho da mulher dum pescador" com um choco. :)

 

 

 

 

 

link do post texticulos, às 17:37  (3) | comentar