Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
5.6.09

'La Negra' argentina.

 

Esta música embarga-me os dedos, leiam aqui e aqui. Eu vou ouvi-la.

 

Gracias a la vida... gracias a ti por tu sencillez y sensibilidad.

 

link do post texticulos, às 09:38  (4) | comentar

29.5.09

O momento em que o Philippe Jaroussky percebeu que os músicos soltaram as rédeas ao barroco deve ter sido tão revelador quanto os instantes após o pontapé nos ditos que lhe deixou a voz assim! :)

 

Não deve ter sido tão doloroso pois rapidamente entrou no swing. Um projecto muito interessante este.

 

Cliquem na imagem para aceder a mais uma inovação! Ainda não deve estar 100%, desculpem lá!

 

 

 

link do post texticulos, às 09:28  | comentar

22.5.09

Começou a cantar ainda miúda a música tradicional berbére, passando mais tarde por uma banda de flamenco, onde também ficou a conhecer o fado. Mais tarde enveredou pelo rock mais interventivo da Argélia para agora nos adoçar com a sua voz e sons de influências várias.

 

 

Em árabe cantado, a sua voz  é um deleite.

 

Pena o meu ser tão fraquinho! أنا أحبكِ (ana hibuki)

 

 

link do post texticulos, às 11:08  | comentar

19.5.09

Hoje acordei aforístico e como sou um tipo do campo não entendo o culto a certos santinhos, falta-me a polidez e tudo o que me afasta do arado é um enfado, conto hoje com a ajuda preciosa de um olhar de águia nestes assuntos. O genérico da cerimónia das esferas douradas foi o seu melhor momento, incrivelmente premonitório por sinal, apreciei a lucidez do canal de televisão e salvo raras excepções foi um vácuo de distinção.

Não me move nenhum desdém pelos artistas, muito pelo contrário, mas a orátoria afaga-almas era dispensável, tive de conter os movimentos peristálticos do esófago com receio de ter que raspar o jantar da parede, é preciso ser-se artista para certos papéis. E dou por mim agora a fazer mais downloads ilegais, àparte do Sonoro da Buraka, nada de novo no panorama para além das causas que não saem lhes saem da carteira, se era para arranjar verdadeiros artistas com uma mensagem desenterrassem o John Lennon e o Zeca Afonso.

Na faceta fashion, os modistas do regime deviam ter vergonha de coser tais fatiotas(no sentido estrito de fato + idiota) e até deixar que alguma gente séria saia à rua naqueles preparos, mais grave ainda ter-se na conta de um criativo. Momentos houve que julguei terem mudado a cerimónia de local e a alcatifa vermelha indicava o caminho para um qualquer paço da mãe Joana no deserto do Nevada, não aponto índole menos própria a ninguém, mas quem não quer ser lobo também não lhe vista a pele. Quanto a classe ficamos conversados.

 

 

link do post texticulos, às 12:05  | comentar

15.5.09

Estes franceses trazem-nos um electro-pop de grande energia!

 

 

É impressão minha ou aquilo é um Magalhães!? Acho que estou a delirar!

 

Alguém reparou quantas farmácias aparecem no video!? :)

 

 

link do post texticulos, às 09:07  (1) | comentar