Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
13.11.09

 

Reparou no rabo exposto da rapariga lá atrás?
 
Se sim, marque uma consulta para o oftalmologista, porque o rabo é o ombro da rapariga da máquina fotográfica. :)
 

Procurem um bom fim-de-semana. Divirta-se sff...

 

 

link do post texticulos, às 16:00  (7) | comentar

12.11.09

Hoje em dia uma foto como esta seria impossível sem que um "batalhão" de telemóveis lhes, também, estivesse apontado.

 

 

Agora que as máquinas fotográficas tem a capacidade de fixar coordenadas geoestacionárias, fazer chamadas telefónicas e divulgar tudo em sites de redes sociais, parece intuído que o valor passou do simples desfrutar de uma situação ou de um momento particular para o "estive lá, está aqui a prova". Talvez seja esta a tal autenticidade propalada pelos new agers, mas isso é outra conversa.

 

 

O plingrafias, termo ternurento que um familiar já falecido usava para denominar as fotografias, é um blog satélite, federado ao Textículos, dedidado à publicação de imagens fixadas no rolo fotográfico ou captadas no CCD e que me foram enviadas e me entulham o computador, que merecem ser apreciadas.

 

 

link do post texticulos, às 16:00  | comentar

20.10.09

Magnus Mhur é sueco e fotografo.

 

Dos vários trabalhos escolhi o mais humorístico.

 

 

Também lá tem suecas nuas. :)

 

 

link do post texticulos, às 11:55  (2) | comentar

18.9.09

Mote
"Perdigão perdeu a pena:
não há mal que não lhe venha.

Perdigão, que o pensamento
subiu em alto lugar,
perde a pena de voar,
ganha a pena do tormento.
Não tem no ar nem no vento
asas com que se sustenta:
não há mal que lhe não venha.
Quis voar a u'a alta torre,
mas achou-se desasado;
e, vendo-se depenado,
de puro penado morre.
Se a queixumes se socorre,
lança no fogo mais lenha:
não há mal que lhe não venha.
", Luís Vaz de Camões

 

 

Um dia encontrará um rapazola decente e bem apessoado, vigoroso, fértil e sem problemas problemas de fígado...

 

BOLAS!

 

 

link do post texticulos, às 13:01  (13) | comentar

1.9.09

Dorothea Lange fotografou como ninguém a grande depressão dos anos 30 nos Estados Unidos da América.

 

 

As fotografias de Florence Owen Thompson com os seus filhos ficarão como memória desses tempos. "I did not ask her name or her history. She told me her age, that she was thirty-two. She said that they had been living on frozen vegetables from the surrounding fields, and birds that the children killed. She had just sold the tires from her car to buy food. There she sat in that lean-to tent with her children huddled around her, and seemed to know that my pictures might help her, and so she helped me. There was a sort of equality about it."

 

Outrora não era patologia, era condição.

 

 

link do post texticulos, às 15:32  | comentar