Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
4.11.09

Como o próprio escreve no blog "A ideia não é original. Talvez já nem venha a tempo de ser inovadora. Mas porque as boas ideias não se têm apenas mas também se aproveitam, decidi criar O Alfaiate Lisboeta."

 

Aqui se mostra uma Lisboa bonita, descontraída e bem vestida. Vão lá dar uma volta.

 

 

Gosto da palavra alfaiate.

 

 

link do post texticulos, às 12:00  (2) | comentar

9.10.09

No ínicio da década de noventa a house-music dava o primeiros passos cá no burgo.

 

O som de "So get up" animava a noite.

 

 

Loucas, as noite de Alcantâra!

 

 

link do post texticulos, às 09:03  (3) | comentar

2.9.09

Eu já não devia ficar surpreendido mas ele há coisas do cabresto. Ao que parece o petróleo líbio lubrificou a libertação do único condenado pelo atentado de Lockerbie preso na Escócia. Teoria da conspiração? Talvez. Mas também da Escócia chega-me a notícia que os barmen ficam proibidos de incitar os clientes a beber, "New licensing laws prohibit Scotland bartenders from asking ‘Same again?’"

 

Ali perto, na República da Irlanda andam a pensar voltar à idade das Trevas, com uma nova lei sobre a blasfémia. "Under this proposed law, if a person expresses one belief about gods, and other people think that this insults a different belief about gods, then these people can become outraged, and this outrage can make it illegal for the first person to express his or her beliefs. So Irish law has now enshrined the notion that the taking of offence is more important than free expression." Talvez assim salvem o Tratado de Lisboa. :)

 

-Mais uma?

-Não obrigado, é capaz de me fazer mal. Temo que o meu estômago não aguente tanta boçalidade.

 

 

link do post texticulos, às 13:24  | comentar

15.7.09

Quando as tribos nómadas pararam e se fixaram num único local nasceram os primeiros povoamentos e aí ocorreu talvez o pior erro da humanidade, a Agricultura, mas isso fica para outro post. Estes povoados prosperaram tornando-se cidades até ao segundo pior erro, a Revolução Industrial, crescendo em urbanização tornando-se metrópoles.

 

A mais antiga e continuamente habitada é a capital da Síria, Damasco existe como cidade à 12000 anos, desde que nas margens do Barada se fixaram os pioneiros. Depois dela Jericó na Palestina, Susa no Irão, Jerusalém em Israel, Tiro no Líbano, Atenas na Grécia, Lisboa em Portugal... 'Pera lá!! Lisboa!? Existe há 3200 anos, desde que os primeiros Fenícios se fixaram por aqui e lhe chamaram "Allis Ubbo", "Porto seguro" na sua língua.

 

 

E tem sido impressionante a sua resiliência.

 

 

tags: ,
link do post texticulos, às 13:20  | comentar

12.6.09

Isto não é nome de santo! Não é, não!

 

Hoje é dia de marchas, arraiais(quiça de porrada), fado, sardinha e ginja!

 

Entra na marcha e vem cantar,
No Santo António sê folgazão.
Lisboa vem para a rua dançar,
E comer sardinhas assadas no pão.

 

 

 

link do post texticulos, às 15:08  | comentar