Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
12.11.08

O individamento de consumo seja para habitação ou em cartões de crédito, está muito alto, nos EUA e por cá também. Até consigo compreender algumas necessidades ou ansiedades com outras fico perplexo. É suposto ficar solidário com o sucumbir perante a dívida da aquisição dum cortador de relva com 500 cavalos, cromados e sistema GPS, tendo um jardim de 50m2. E lá vem a ladainha do coitado não responsável, que se desculpa no ímpeto e culpa os pais, a sociedade e o pato. Subitamente começo a ver uma luz na validade da argumentação eugénica.

 

Depois aparece o emprestador magoado por ter maus empréstimos e por ter negociado produtos envenenados. E o regulador diz para não olharem para ele, porque não sabe nada daquilo, nem sabe o que aquilo faz. E depois aparecem os criminosos que sabem bem do que se trata e como lucrar com o pato. Aí o enforcamento em massa começa a ganhar contornos estéticos.

 

A barca mete água e ameaça afundar, ninguém assume a responsabilidade, cumpre obrigações ou responde pelo que faz. A justiça funciona como lastro e ninguém de gabarito molha os pés. O pato grasna "Escândalo e Impunidade!" e mantém-se à tona. Os ratos em balsas, estão confusos mas cuidam uns dos outros.

 

 

tags:
link do post texticulos, às 09:54  | comentar