Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
12.1.10

link do post texticulos, às 18:00  | comentar

4.1.10

Maryse Vaillant, escritora e psicóloga, escreveu um novo livro «Les hommes, l'amour, la fidélite» , onde defende que "os  homens que não têm casos  extra-conjugais podem sofrer de uma fraqueza de carácter. Para ela os homens fieis "são homens que têm uma visão completamente idealizada da figura do pai e da função paternal. Não têm flexibilidade e são prisioneiros de uma imagem idealizada das funções do homem".

 

 

Estas ideias devem trazer água no bico. Já agora:

 

É mais seguro dar umas voltas com uma mulher casada do que com uma solteira, embora hoje em dia as diferenças sejam poucas. As solteiras, por teoria, são monogâmicas sequênciais e o risco de nos cruzarmos com um chifrudo raivoso é diminuto, pelo que, estas, têm pouco incentivo para manter a sigilio dando azo a situações delicadas. As casadas calam-se mais, embora seja modernaço gabarem-se às amigas que andam a dar umas voltas por fora, havendo sempre o perigo dum corno se sentir humilhado e pretender ser ressarcido, em sangue, pelos serviços prestados. E depois não digam que não vos avisei.

 

 

link do post texticulos, às 12:00  (1) | comentar

30.12.09

Afinal, lá fora, as revistas de homens também andam pelas ruas da amargura.

 

 

Nem que seja pela creatividade.

 

Mas se calhar, só pela repetição, é que, a rapaziada entende. :-)

 

 

link do post texticulos, às 18:00  (4) | comentar

21.12.09
   
   
   
   

Tabuleiros de xadrez com metáfora social. Ficou de fora a sociedade feminista, de que não encontrei exemplo da abertura.

 

Porque é comum afirmar-se que uma rainha vale mais que nove peões, em 1846 Guingret e Kieseritzky testaram esta hipotese. Guingret jogava com as brancas e dezassete peões  sem a rainha, enquanto Kieseritzky jogava com as pretas e com uma rainha. (1. e5 e6 2. d5 d6 3. e4 c6 4. exd6 cxd5 5. e5 b6 6. d4 f6 7. Bd3 g6 8. Be3 Nc6 9. c5 Bg7 10. b4 Bd7 11. b5 bxc5 12. bxc6 Bxc6 13. dxc5 fxe5 14. fxe5 Bxe5 15. Nd2 Rb8 16. Rb1 Qf6 17. Ne2 Qg7 18. O-O g5 19. Nb3 h5 20. Bd4 hxg4 21. fxg4 Kd7 22. f4 Bxd4+ 23. Nbxd4 Nf6 24. f5 e5 25. Ne6 Rxh2 26. Nxg7 Nxg4 27 f6 e4 28. f7 Rbh8 29. f8=N+ Kc8 30. d7+ Kb7 31. d8=N+ 32. Ka8).

 

Desse jogo concluiu-se que a rainha é mais forte se for controlada por Kieseritzk. :)

 

 

link do post texticulos, às 14:00  | comentar

11.12.09

Sempre achei que, em vida, nunca iria ouvir/ler uma coisa destas. Aliás ainda não sei se será coisa boa, mas uma surpresa, sem dúvida.

 

 

Lido aqui e aqui(Testosterone link to aggression may be all in the mind), parece que afinal a hormona "maléfica", mais conhecida por Testosterona, não é responsável pela agressividade, aliás pode até levar o ser humano a ser mais justo. Mas também pode ser o lobby psi ou outra seita qualquer de exorcistas a tentar vender tratamentos ou terapias anger management. Isto nunca fiando. Senão vai ser complicado desligar-me da intimidade que mantinha com esta desculpa.

 

E eis que descubro que a esperança de vida de um homem aumenta olhando, diáriamente, para as mamas duma mulher. Afinal voltou a haver uma boa desculpa. :-)

 

 

link do post texticulos, às 12:00  (2) | comentar


eXTReMe Tracker
 
federação