Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
22.2.10

Foi-me contado por um interessado pela cultura aborígene, que estes povos semi-nómadas criavam canções que eram mapas, mapas esses que trocavam quando de se encontravam na vastidão da Austrália.

 

Indicavam onde encontrariam sombra, água, alimento ou perigo naquela região. Eu encontrei amigos e muita "parvoíce". Trouxe esta!

 

 

Faz agora um ano que provei a vegemite sandwich e came from the land down under.

 

 

link do post texticulos, às 16:00  | comentar

17.2.10

Que se olha para o calendário e logo um sorriso se solta na face e dai o post da manhã com a tartaruga.

 

Precisamente à um ano, estava eu a meio do live board de 3 dias, sob o sol abrasador de Queensland. «Em Cairns tive a tortura de partilhar o upper deck do barco, três dias sob um sol abrasador, com uma norueguesa em bikini cuja sequência genética foi copiada da Anna Kournikova, quiçá até no talento para o ténis. Na água, apanhei o susto duma vida quando me cruzei com um dentuças de pontas brancas e nunca a expressão "um olho no burro e outro no cigano" me fez tanto sentido, mas afinal até era um bicho porreiro. Longe!»

 

 

Foi o dia é que conheci a tartaruga Mike, este, bem mais simpático que o dentuças do dia anterior.

 

 

link do post texticulos, às 16:00  | comentar

 

WOW!!!

 

 

link do post texticulos, às 10:30  | comentar

15.2.10

É o nome do veleiro que neste momento está algures no Atlântico Sul rumo ao Cabo da Boa Esperança.

 

Ao leme está uma australiana de 16 anos, Jessica Watson, que pretende ser a mais jovem velejadora a dar a volta ao mundo sozinha.

 

 

Go girl!!

 

 

link do post texticulos, às 12:00  | comentar

1.2.10

Por esta altura, à quatro anos, vivia-a eu no Cairo quando a CAN foi disputada no Egipto e tal como ontem a sua selecção venceu. Recordo-me de ter andado a passear nesse dia e no final fui jantar com colegas num restaurante brasileiro em Mohandessen, onde assisti à final.

 

 

Terminado o jantar e desfeita a tensão do jogo o restaurante encheu-se de  festa, quando sai a rua estava cheia de gente orgulhosa a festejar vitória, nas formas mais loucas imagináveis, cheguei a ver maltinha com a roupa em chamas enquanto brincavam com latas de spray e isqueiros. Já dentro do carro levei duas horas a percorrer cerca dum 1.5km. Até então jamais vira tamanha entrópia e durante horas gritou-se «MASR!!», Egipto em àrabe. Como o trânsito não andava desatei a fotografar os festejos. Ontem deve ter sido parecido.

 

Down under, a Serena Williams e o Federer suaram e venceram o Australian Open, cimentando as primeiras posições de ambos no ranking  afirmando também um ténis dificilmente superável pelos adversários.

 

 

 

link do post texticulos, às 12:00  | comentar


eXTReMe Tracker
 
federação