Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
5.6.09

Afastem essa cicuta de perto de mim, cada vez que se folheia o jornal espreme-se dele um concentrado de narrativa avarenta, de manhoso julgamento e criminosa impunidade num embrulho de gosto discutível.

Agora é altura de mandar vinte e dois novos patetas para o mausoléu sumptuoso com a missão de garantir que o crédito nacional se mantêm e com isso a própria existência da nação. Até porque estamos já fartos desta dívida e queremos uma nova e para tal contamos com a aldeia dos duzentos e trinta macacos, confortáveis em atacar quem não se pode defender, escarafunchando nos restos da república uma "moeda" que aquela máquina de vending aceite e cuspa uma obra pública ou uma legislação à medida.
 
Políticos com visão!? Mais facilmente me cruzarei, antes do dia terminar, com uma cabra de três cabeças. Quem sabe consiga sonhar, antes de me apagar. Tirem-me esse frasco da frente. Deem-me lá o boletim que eu voto!

 

link do post texticulos, às 16:34  | comentar

De Uma vida qualquer a 5 de Junho de 2009 às 17:58
O bom de não ter com quem falar português é que não existe o tema do costume, seja ele qual for. O bom de estar sozinha, que alguém tem que trabalhar, é utilizar a televisão apenas para ver séries ou programas da tanga americanos.
Aguenta amigo, aguenta!
Besos guapo

eXTReMe Tracker
 
federação