Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
9.3.09

Enche-me de orgulho saber que hoje se inaugura o maior quartel de bombeiros da península ibérica, em Sacavém, ainda que ibérico seja o mínimo admíssivel, mundial ou europeu seria bem mais distinto. Cá no burgo nada de constroi para ser pequeno e quando o é custa como enorme fosse, noutras alturas foram os centros comerciais, parques de energia solar, pontes, barragens, a lista no superlativo é extensa e pouco duradoura, subsiste até que outra nação se empenhe em nos humilhar.

 

Também, parece "descer" a superioridade divina do quinto império sobre qualquer um que ultrapasse a fronteira, graça essa que lhe desaparece no retorno, sumindo por troca com os estrangeiros que pisam a lusa pátria. É um equilibrio primoroso, Lavoisier aplaudiria. Como exemplo regressou à selecção um treinador, que até pisar o burgo era a sumidade da bola, uma vez cá, passou a ser considerado vulgar, quer-se campeão mundial e caso cultivasse uma bigodaça e o afirmasse em brasileiro já haveria bandeirinhas penduradas nas janelas. Campeão de futebol, espero, porque de bisca lambida já temos de sobra.

 

Noutro campo é usual afirmar-se a excelência dos nossos investigadores fora de portas e na verdade muitos deles merecem as loas e também os nigerianos, coreanos e chilenos, etc. que buscam sistemática e versadamente o conhecimento, confundir isto com a tomada das portas do castelo, é nacionalismo açaimado fundado na soberba duma origem sagrada do nosso ADN.

link do post texticulos, às 11:55  | comentar

De Margalhos a 9 de Março de 2009 às 21:24
...de presunção e água benta.
Quanto ao facto de ser Imperial...desde que seja fresquinha; não nos doa a cabeça por outras razões e teremos sempre anuncios pejados de megalomania capazes de iludir uma qualquer mente menos elucidada. Haja quem tome atenção e haverá quem venda "água no deserto". Nem que para isso tenha de empenhar um qualquer orçamento...vá lá saber-se - caseiro.
Agora em Sacavém - essa não consigo perceber. Aquilo realmente está replecto de "fogos", mas são habitacionais. A não ser no âmbito do novo "Regulamento de Segurança Contra Incêndios em Edificios", não consigo entender. Até percebia se tivesse deslocado para lá o novo Instituto da Habitação de forma a regulamentar o ordenamento territorial.
Em relação ás trocas "gasosas" aquem e além fronteiras, parece-me a mim e suspeito que mais a meia duzia de famigerados opinantes que teremos sempre dificuldade em cuidar da nossa galinha, preferindo atribuir a forças estranhas e outros ventos essa responsabilidade. Não fosse os aspectos sobejamente conhecidos da filogenética e sua respectiva evolução e eu já haveria procurado determinar a "espécie Tuguês" como qualquer desvio á normalidade...não fosse estarmos longe de Galápagos, porque tartarugas e camaleões não nos faltam.
Bem haja

De texticulos a 10 de Março de 2009 às 10:20
Desvio e normalidade são duas palavras cuja gramática portuguesa deveria proibir serem escritas na mesma frase! :)

eXTReMe Tracker
 
federação