Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
4.3.09

Tenho uma particular simpatia pela maltinha dos recursos humanos, ao género da criancinha que vai ao circo e assiste ansiosa e deslumbrada à espera da próxima palhaçada, o mesmo se aplica à gestão intermédia, não lhes subtraindo a utilidade, em muitos casos tenho pouca estima pela sua acção. Muito haveria a dizer, também, sobre os "colaboradores", porque nisto aplica-se a velha máxima, "ou comem todos ou há moralidade", fica para outro post. Vem isto à baila num email, sério a brincar, sobre formas de sabotar o ambiente de trabalho.

"A rapaziada aprecia ser convocada para reuniões, seminários ou formações fora-de-horas, é verdade e num instante se instala o delírio quando se trata daquelas em que é demonstrada a utilidade em nos apoiarmos no corrimão caso o chão esteja escorregadio, quando repetida passados seis meses, poupem-me ao insulto intelectual; Não esperem aplausos pelo powerpoint que mostra a reengenharia dum processo(disciplina que me é muito cara) que passa a demorar o dobro do tempo sem qualquer acréscimo de funcionalidade; Reuniões à hora de almoço, fazem-me pensar noutros possíveis usos para a faca e garfo; Fazer passar a maltinha por um processo padronizado de avaliação de desempenho onde todos acabam aumentados na mesma proporção, tem remeniscências nazis; Promover alguém sem qualquer aumento aparte das responsabilidades é um mau presságio, quando a coisa dá para o torto, contratar um reformado que para além da pensão que já recebe, sai cinco vezes mais caro, é boa gestão; Os manuais desaconselham que se desanque um funcionário na frente dos colegas, mas afinal resulta, assim todos ficaram a saber que em vez de mais um, existem dois palermas na empresa; É de todo justo acabar com a máquina do café na mesma semana que se manda metade dos gestores para uma ilha paradisíaca em exercício de Team Building." Isto não se passou cá no burgo.

Teria sido mais simples elaborar sobre a comodidade e os efeitos terapéuticos de descansarem o traseiro em cima de um nabo, assim foi divertido purgar este fel, fora das horas de trabalho, claro está. Porque esta rapaziada parece ter passado toda pelo mesmo túnel de vento (escola) ou algures na bibliografia alguma gralha os levou a estudar a gestão de imobilizado em lugar de pessoas, nos casos menos graves desconfio de envenenamento na almofada dos carimbos.

link do post texticulos, às 11:22  | comentar

De Marta a 4 de Março de 2009 às 11:51
A única coisa que me passou pela cabeça enquanto lia, é que estavas a fazer uma descrição quase perfeita da F.P..
Claro que este tipo de sabotagem existe em todo o lado... e assim se anda e não se avança... todos sentados, dando pequenos pulinhos e fazendo de conta que o comboio avança....lol

De texticulos a 4 de Março de 2009 às 11:57
Nunca tal me passaria pela cabela, brincar com a F.P.! :P

De alexandra a 4 de Março de 2009 às 15:20
É uma descrição quase perfeita de muitos locais de trabalho.

Eu acrescento o chegar tarde e a más horas, passar o tempo a ir beber cafés, ainda estender o horário laboral para as 22h00 porque se é um "home que dá o peito à bala" (basicamente, na realidade, porque se passou o tempo útil na cavaqueira). A seguir, criticar quem sai a horas minimamente decentes e que não só já terminou o seu, como ainda desenvolveu, promoveu, fez algo de útil senão conversas da treta.

Enfim, its a wonderfull world out there!

De texticulos a 4 de Março de 2009 às 15:38
E com isto quase eliminaste metade dum futuro post. :)

De Sayuri a 4 de Março de 2009 às 21:20
Eu, como fazendo parte da 'maltinha dos recursos humanos', vou abster-me de comentar o teu post...

:p

De texticulos a 4 de Março de 2009 às 22:08
Isto sim, é meter os pés... não é nada pessoal! :P

De Sayuri a 4 de Março de 2009 às 23:07
...fico a aguardar um pedido de desculpas como deve de ser...

eXTReMe Tracker
 
federação