Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
27.1.09

As horas dormidas foram poucas e quando acordei logo a manhã começou numa correria. O percurso matinal foi alterado para visitar uma entidade bancária muito célere a cobrar e pouco expedita a resolver os meus problemas. Foi rápido e indolor.

 

Atrasado já estava e não valia a pena gastar o fôlego antes de chegar ao trabalho, tomei então o autocarro num percurso que à anos não faço. Entristeceu-me passar pelo terreno lúgubre onde outrora se implantou um enorme estaleiro naval e onde engordei a trabalhar no refeitório num longínquo Verão. Chegado ao destino era agora o momento de atravessar o rio de barco como, também, não fazia desde os tempos da faculdade. O fresco ensolarado rio Tejo, que maravilha. E embora os cacilheiros mantenham o desconforto de outrora, vou voltar a repetir o passeio, concerteza.

 

Foi um percurso de boas memórias, outras nem tanto, ainda assim cheguei com boa energia ao trabalho. Que rapidamente se esfumou por causa da porcaria deste computador! Grrrr!!!!

link do post texticulos, às 14:10  | comentar

De alexandra a 27 de Janeiro de 2009 às 16:10
Engordaste a trabalhar num refeitório?

Que belo refeitório então! Digo eu...

De texticulos a 27 de Janeiro de 2009 às 18:02
Era mais que rico trabalho! :)

O refeitório não sendo nada de especial, tinha coisas boas, em quantidade e sempre à disposição. No fundo o territorio perfeito para um ratito. :)

De Blogadinha a 27 de Janeiro de 2009 às 19:13
Quem bate bolas de noite, dá ao chinelo durante o dia... eh eh eh
E antes o desconforto que uma paragem, por tempo indeterminado, em pleno Tejo!

De texticulos a 27 de Janeiro de 2009 às 19:59
Bater bolas... de noite... Que coisa bonita... Não tens vergonha! :)

Desde que não seja no fundo do rio!

De Blogadinha a 28 de Janeiro de 2009 às 17:07
Vergonha, tenho. Emenda é que não!
Para meter água, não é preciso ir ao fundo.

De texticulos a 28 de Janeiro de 2009 às 18:05
AHAHAHAH!!!

eXTReMe Tracker
 
federação