Textículo (*) s. m., texto ridículo; texto pequeno. (* não existe no dicionário)
Aventureiro introvertido; Sensível idiosincratico; Conversador tranquilo; Solitário na multidão; Dedicado desregrado;
texticulos@sapo.pt
6.10.09

Fazem quarenta anos os Monthy Python.

 

 

E agora para algo completamente diferente, Amália Rodrigues legendada em japonês.

 

 

"Toda a poesia - e a canção é uma poesia ajudada - reflecte o que a alma não tem. Por isso a canção dos povos tristes é alegre e a canção dos povos alegres é triste.O fado, porém, não é alegre nem triste. É um episódio de intervalo. Formou-o a alma portuguesa quando não existia e desejava tudo sem ter força para o desejar. As almas fortes atribuem tudo ao Destino; só os fracos confiam na vontade própria, porque ela não existe. O fado é o cansaço da alma forte, o olhar de desprezo de Portugal ao Deus em que creu e também o abandonou. No fado os Deuses regressam legítimos e longínquos. É esse o segredo sentido da figura de El-Rei D. Sebastião.", Fernando Pessoa dixit.

 

 

link do post texticulos, às 12:22  | comentar

De Sayuri a 6 de Outubro de 2009 às 13:40
O Fado é triste! Mais triste é o Fado quando, ao fim de inumeras vezes a tirar o carro da garagem, o raspamos contra a coluna amarela, decorando-o de riscos amarelo-limão...Esse é um Fado muito triste....

De texticulos a 6 de Outubro de 2009 às 14:06
Isso não é fado, é fatalidade.

eXTReMe Tracker
 
federação